Artigos

O impacto do câncer de próstata no Brasil

Planos de Saúde

Apesar de ser tratado como tabu entre os homens, o câncer de próstata é assunto muito sério. Por isso a importância da campanha de conscientização sobre a doença, o Novembro Azul. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2018, 68.220 novos casos da doença serão diagnosticados.

Esse percentual representa um aumento de mais de 10% em relação à quantidade detectada em 2017. De todos os casos de câncer, no Brasil, a média é que cerca de 21,3% são de próstata, segunda maior causa de câncer entre a população masculina, atrás, apenas, do câncer de pele não melanoma.

Cenário da doença

De acordo com entidades especialistas, 10% dos homens após os 50 anos desenvolveram câncer de próstata. Considerando a população com 75 anos, ou mais, essa probabilidade sobre para 50%. Portanto, a idade é um dos fatores de risco para a doença, sendo aconselhado o exame preventivo em pacientes nessa faixa-etária.

A mortalidade por câncer de próstata no Brasil também é alarmante. Essa é a segunda maior causa de mortes por câncer entre os homens, perdendo para o câncer de pulmão. Segundo dados do Inca, somente em 2015, aconteceram 14.484 óbitos por câncer de próstata.

Prevenção do câncer de próstata

O grupo de risco da doença é composto por homens:

  • com mais de 50 anos;
  • com histórico familiar da doença;
  • obesos;
  • fumantes;
  • que consomem bebidas alcoólicas regularmente.

Na maioria dos casos, o câncer de próstata não apresenta sintomas quando em estágio inicial. Portanto, é importante que homem cuide melhor da própria saúde e procure ajuda médica assim que perceber sinais não normais, como:

  • dificuldade para urinar;
  • necessidade de urinar constantemente;
  • pouca urina;
  • dor ao urinar e/ou ejacular;
  • presença de sangue na urina;
  • dor nos testículos e/ou pélvis.

Quando diagnosticado precocemente, conforme orientação da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), há 90% de chances de cura do câncer de próstata. Além disso, manter hábitos saudáveis de vida e visitar regularmente o médico são consideradas medidas preventivas para o surgimento da doença.