Artigos

Dezembro Laranja – Câncer de Pele

Saúde

A partir do dia 1º de dezembro, começou o Dezembro Laranja, campanha de conscientização sobre o câncer de pele. No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), essa doença corresponde a 33% de todos os tumores malignos. Como a radiação solar é a principal causadora dessa patologia, a campanha coincide com a época do verão, estação na qual as pessoas passam mais tempo expostas ao sol.

Realizado, há cinco anos, pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), com poio Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB) o Dezembro Laranja já começou a apresentar efeitos positivos, por isso a importância do engajamento de toda a sociedade. Confira, neste artigo, mais dados sobre a doença e a importância da prevenção!

Sobre o câncer de pele

O câncer de pele é o nome dado ao crescimento anormal das células da pele e pode ser de duas naturezas:

  • Câncer de pele não melanoma — mais comum, corresponde a 30% dos casos de câncer de pele, e apresenta mais facilidade de cura. Normalmente, se manifesta como manchas na pele;
  • Câncer de pele melanoma — muito raro, corresponde a 3% dos casos de câncer de pele, mas apresenta maior letalidade. Na maioria dos casos, se manifesta com a aparência de uma pinta.

Quando detectado em fase inicial, as chances de cura da doença são superiores a 90%, por isso a importância da prevenção e da realização do exame dermatológico completo. Durante a campanha do Dezembro Laranja, vários postos estarão oferecendo o exame gratuitamente.

Autocuidado

Pessoas de pele, olhos e/ou cabelo mais claro são mais propensas a desenvolver a doença, por apresentarem menor concentração de melanina na pele, proteína que protege contra a radiação solar.

Porém, quase todo mundo tem sardas ou manchas na pele. Nesses casos, para distinguir uma mancha normal de um possível câncer de pele, os dermatologistas orientam a usar a regra ABCDE e, mesmo assim, anualmente, realizar consulta com especialista.

  • Assimetria: a pinta é assimétrica;
  • Bordas: as bordas são irregulares;
  • Cor: a mancha apresenta colorações diferentes;
  • Diâmetro: lesões com mais de 6 mm merecem atenção maior;
  • Evolução: pintas que estejam mudando.

Impacto do câncer de pele no Brasil

Tipo de câncer mais comum no Brasil, o Inca calcula que, para cada ano do biênio 2018/2019, sejam detectados 165.580 mil novos casos de câncer da pele. Ainda de acordo com o instituto, os homens serão mais afetados (85.170 mil) do que mulheres (80.410 mil). Porém, apesar de alto o número, a projeção teve redução de 10 mil casos no comparativo com o biênio 2016/2017.

Essa mudança de cenário se dá, em grande parte, pelos esforços das campanhas de conscientização que estimulam hábitos de proteção. Para isso, a SBD estimula que órgãos públicos, instituições de saúde e empresas ajudem a compartilhar informações e reduzir, cada vez mais, o número de casos da doença.

Como se prevenir:

  • Evitar exposição ao sol nos horários de maior incidência solar (10h às 16h);
  • Usar bonés e chapéu;
  • Usar óculos de sol com proteção UV;
  • Usar roupas que cubram boa parte do corpo;
  • Procurar locais de sombra;
  • Cuidar da hidratação corporal;
  • Usar, diariamente, protetor solar com fator mínimo de 30 e reaplicar em intervalos de duas horas.

O tema do Dezembro Laranja deste ano é “Se exponha, mas não se queime”, em referência tanto à exposição solar quanto nas redes sociais. Além de adotar as medidas preventivas ao câncer de pele, e prestar atenção aos sinais do próprio corpo, o recomendado é fazer o exame dermatológico uma vez ao ano.

Ajude a reduzir os casos de câncer de pele no Brasil, compartilhe este artigo com seus conhecidos!